sexta-feira, 13 de junho de 2014

O Santo de todas

Nunca acreditei em santos. Mesmo sendo socialmente católica, minhas orações sempre foram dirigidas somente a Deus.


Em 2012, em nossa viagem pela Itália, no dia dos namorados, fizemos uma rápida parada em Padova e fomos visitar a Basílica de Santo Antônio. Chegamos no momento em que estava sendo realizada uma missa, e os turistas tinham a liberdade de assisti-la ou passear pelos seus corredores. Optamos pelo segundo, olhamos objetos que pertenceram ao Santo Antônio, mas duas coisas acabaram sendo marcantes:

  • Enquanto caminhávamos, fomos abençoados por um dos frades.
  • Ao passar pelo tumulo onde estão os restos mortais de Santo Antônio, você pode realizar pedidos.

Por algum motivo, mesmo não acreditando, resolvi pedir fazer os meus pedidos, e dois deles, que atormentavam o meu coração naquele período, foram rapidamente atendidos.

Se eu já havia me encantado pela igreja (a mais aconchegante entre todas as visitadas), confesso que mudei na relação de acreditar, e sim, agora penso que o Santo Antônio é um ótimo aliado para resolver o que é sincero à alma.


O que o torna o Santo perfeito para noivas nervosas e mamães ansiosas. Da minha parte, resta o desejo de retornar e agradecer.

2 comentários:

  1. Bem tradicional, mas ao mesmo tempo aconchegante!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela visita, Gabi! Curti bastante o post sobre Bruxelas.

    ResponderExcluir

Olá!

É bom receber você por aqui.